Crónicas de uma Leitora: Junho 2013

domingo, 30 de junho de 2013

Uma espia no meu passado de Lucinda Riley [Opinião]

3 comentários:
Uma Espia no Meu Passado

Sinopse:
Côte d'Azur, 1998. Émilie lutou sempre contra o seu passado aristocrático. Agora, com a morte da mãe, é obrigada a confrontá-lo pois é a única herdeira do imponente castelo da família. Mas com a casa vem uma pesada dívida e muitas interrogações: qual era a finalidade do quarto secreto que descobre por baixo da adega? Quem é a misteriosa Sophia, que assina um comovente caderno de poemas? Quem foram os protagonistas da trágica paixão que mudou o curso da história da família? Londres, 1943. Em plena Segunda Guerra Mundial, a inexperiente Constance Carruthers é recrutada pelos serviços de espionagem britânicos e enviada para Paris. Um incidente separa-a do seu contacto na Resistência Francesa, obrigando-a a refugiar-se junto de uma família aristocrata que entretém membros da elite de Hitler ao mesmo tempo que conspira para libertar o país. Numa cidade repleta de espiões e no auge da ocupação nazi, Constance vai ter de decidir a quem confiar o seu coração. Constance e Émilie estão separadas por meio século mas unidas por laços que resistiram à força demolidora do tempo. Os segredos que o passado encerra pulsam ainda em busca de redenção.

Opinião por Mafi:
Quando Valérie de la Martinières morre e deixa todo o legado da família nas mãos da única herdeira Émilie, esta não sabe o que fazer. Destroçada pela morte da mãe, a quem nunca conseguiu agradar Émilie sente todo o peso de uma família cujos antepassados desconhece. Haverá mais algum parente vivo? 

As expectativas para este livro não eram altas, eram elevadas. Depois de ter lido o livro anterior da autora, mal podia esperar para mergulhar de novo na escrita delicada e nos enredos complexos de Lucinda Riley. "Uma espia no meu passado" confirma o que eu já suspeitava: um talento inagualável para contar histórias. De certo haverão muitos bons escritores, mas ainda não encontrei nenhum autor que consiga criar uma teia de narrativas e de acontecimentos como esta autora consegue.

Temos mais uma vez um drama familiar e a autora recorre a uma narração alternada entre o presente e o passado. Poderia ser confuso mas inexplicávelmente tudo acaba por fazer sentido, sem deixar o leitor baralhado.

Tendo como pano de fundo a Segunda Guerra Mundial e a invasão nazi em França, recuamos até Londres, 1943 onde conhecemos Constance e a sua história. Após ter aceite trabalhar como espiã, tem como único objectivo recolher informações que ajude a desmembrar o regime nazista em França. 

Avançando até 1998, Sebastian surge na vida de Emilie acordando-a de um doloroso luto. Afirmando-se como neto de Constance, depressa ganha a atenção de Emilie, visívelmente carente de afecto e amor.  Embora o aparecimento deste  tenha sido repentino, o amor entre os dois floresce e acabam por se casar, tendo Jacques direito à fortuna que a sua mulher herdou, como por exemplo o antigo chateau da família, propriedade dos Martinieres durante os últimos 250 anos, que possui uma biblioteca de mais de 20 mil livros (digo que quando lia estas páginas, desejei entrar nesta preciosa biblioteca). 

O desenrolar da história é nos dado por Jacques, que trabalhava na mansão de Emilie, não sendo apenas um empregado mas quase um membro da família. E ele que tem o dom de revelar a bela história de Constance, avó de Sebastian e Alex, Édouard, pai de Emilie e Sophia, tia desta. Através dos relatos emocionados, Emilie descobre uma história de amor camuflada pelo  sofrimento, dor e revolta que a guerra causou. Aos poucos que conhece mais sobre a sua família, mais entende que não está sozinha neste mundo e que Anton, o filho da governanta Margaux, é-lhe mais importante do que ela pensa!

Carregados de personalidades fortes que ou se adora ou se odeia, as personagens que habitam neste romance, cativam o leitor tantos pelos seus actos de coragem, como Constance, Venetia, Alex e a própria Emilie como pela sua delicadeza e charme, como é o caso de Sophia, que aos sete anos vê a luz do mundo apagada, ficando cega até à sua morte. 

O paralelismo entre as duas histórias acaba concluir um ciclo e dá início a uma nova história da família dos Martinières.

Lucinda Riley volta a encantar o leitor com a sua escrita envolvente e fluída, proporcionando ao leitor uma história rica em mistérios e segredos familiares. 


sábado, 29 de junho de 2013

Sonhos Esquecidos de Josephine Angelini [Opinião]

1 comentário:


Sinopse
Helena Hamilton é o único Rebento que consegue descer ao Mundo dos Mortos e enfrenta uma tarefa quase impossível. Durante a noite vagueia pelo Hades, para tentar deter o ciclo infindável de vingança que amaldiçoou a família. Durante o dia esforça-se por superar a fadiga que lhe consome com rapidez a saúde mental. Sem Lucas a seu lado, Helena não tem a certeza de possuir forças para continuar. No momento em que está prestes a atingir o ponto de ruptura, um novo Rebento misterioso vem socorrê-la. Divertido e valente, Oríon escuda-a dos perigos do Mundo dos Mortos. Mas o tempo está a esgotar-se, um inimigo implacável conspira contra eles e as Fúrias continuam a clamar por sangue.
Quando o mundo grego antigo colide com o mundo mortal, a vida protegida de Helena em Nantucket desliza para o caos. Mas a tarefa mais difícil será esquecer Lucas Delos. A saga emocionante de Josephine Angelini torna-se ainda mais intrincada e fascinante quando surge um triângulo amoroso inesquecível e o ciclo eterno de vingança se intensifica. Avidamente esperada, esta sequela do best-seller internacional Predestinados, oferece ao leitor uma história de amor plena de acção que excede todas as expectativas.


Opinião por Vera Carregueira:

Depois de ter terminado o primeiro livro desta trilogia não consegui evitar a pegar no segundo.
O afastamento de Lucas e Helena devido á sua ligação familiar leva à introdução de uma segunda personagem masculina Orion. É ele que ajudará Helena na sua demanda pelo Mundo dos Mortos e a ajudará a descobrir a solução para a realização da profecia. Adorei a construção desta personagem não só pelo seu humor constante como pelo seu passado trágico passando pelos seus poderes e como os usa.
O facto de Helena estar cada vez mais debilitada devido ao facto de descer ao Hades todas as noites mas sem obter qualquer descanso só mostra a sua força interior. Continua a explorar os seus poderes e a querer usá-los para ajudar todos os Rebentos a libertarem-se da maldição que os acompanhada desde a guerra de Troia. A relação doentia com Lucas e a aproximação a Orion confunde-a mas não abala as suas convicções. Podemos dizer que a personalidade de Helena evolui na mesma proporção que os seus poderes.
Mais uma vez toda a família Delos une forças e mesmo nos momentos de discórdia arranjam sempre soluções, contudo Lucas afasta-se da família desenvolvendo poderes surpreendentes, alguns deles que nem consegue entender.
A autora conseguiu superar-se neste livro, se o anterior foi fantástico este é simplesmente fenomenal, parece que os sentimentos aqui estão ao rubro e a ação é surpreendente. A criação do Mundo dos Mortos, da qual tivemos uns vislumbres no primeiro livro, e as suas consequências estão muito bem conseguidas, a inserção de novas personagens mitológicas como Hades, Ares e Perséfone dão ainda mais consistência à história.
É um livro que nos agarra do inicio ao fim com os acontecimentos a sucederem-se sem dar tempo para momentos monótonos ou parados. Este segundo volume faz uma ponte entre o primeiro e o último de uma forma fantástica onde vemos uma grande evolução de personagens, da acção, do meio envolvente, tudo se transforma para melhor dando-nos arrepios de antecipação relativamente à conclusão desta trilogia.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Sozinhos na Ilha de Tracey Garvin Graves [Opinião]

Sem comentários:

Sinopse:
Uma ilha deserta plena de sol, vegetação luxuriante e mar cristalino é um cenário de sonho. Ou talvez não... Anna Emerson decide quebrar a sua rotina e deixar Chicago para dar aulas numa ilha tropical. Por seu lado, T. J. Callahan só quer voltar a ter uma vida normal após a sua luta contra o cancro. Mas os pais empurram-no para umas num destino exótico. Anna e T. J. estão a sobrevoar as ilhas das Maldivas a bordo de um pequeno avião quando o impensável acontece: o aparelho despenha-se no mar infestado de tubarões. Conseguem chegar a uma ilha deserta. Sãos e salvos, festejam e aguardam, convictos de que serão encontrados em breve. Ao início, preocupam-se apenas com a sobrevivência imediata e imaginam como será contar tamanha aventura aos amigos. Nunca a citadina Anna se imaginou a caçar para comer. T. J. dá por si a lutar com um tubarão e a ser acolhido por simpáticos golfinhos. Os dois jovens descobrem-se timidamente e exploram a ilha. Mas à medida que os dias se transformam em semanas, e depois em meses, as hipóteses de serem salvos são cada vez menores. Ambos têm sonhos por cumprir e vidas por retomar, e é cada vez mais difícil evitar a grande questão: conseguirão um dia sair daquela ilha?

Opinião por Vera Carregueira:

 Aventura, romance, acção e drama são os ingredientes deste livro espectacular. Anna é uma professora de 30 anos que descontente com a sua vida amorosa decide aceitar um emprego de verão numa ilha paradisíaca situada nas Maldivas. Pensa que os meses lá passados lhe darão a mudança que precisa.
T.J. é um adolescente prestes a fazer 17 anos, a recuperar de um tumor que o consumiu demasiado tempo e é forçado pelos pais a umas férias de sonho com a família e a professora que o irá preparar para a entrada no ano lectivo. Tendo ficado para trás para ir a uma festa com os amigos acaba por viajar com Anna.
O que os dois não esperavam era que o hidroavião em que seguiam se despenhasse no meio do oceano.
Salvando-se por pouco é no tempo que permanecem na ilha que vêem as suas personalidades se modificarem e amadurecerem.
Sozinhos na ilha retrata a luta de um casal pela sobrevivência e mais tarde contra o preconceito. O romance surge de forma gradual mas instala-se com  uma força surpreendente. Anna tenta a todo o custo lutar contra os seus sentimentos devido à diferença de idades que a separa de T.J..
Confesso que saber que iria haver romance me fazia confusão por T.J. ser menor aquando da queda do avião mas afinal eles ficam presos na ilha muito mais tempo do que julguei por isso acabei por torcer para eles ficarem juntos desde muito cedo.
Anna e T.J. são personagens surpreendentemente bem construídas com personalidades fortes e cativantes. A autora consegue agarrar-nos à história com uma força sobrenatural. A forma como os parágrafos se alternam entre os protagonistas levando-nos a perceber o seu ponto de vista à maneira como foram resgatados da ilha mostra a espectacularidade deste livro. Com uma escrita bastante acessível e envolvente vemo-nos a ler avidamente cada capítulo para sabermos só mais um pouco e quando termina ficamos com um sentimento de "quero mais".
É sem dúvida o livro para este verão, sentimo-nos realmente transportados para a ilha, sentimos o sol a beijar-nos a pele, a água a refrescar-nos o corpo e os golfinhos a confraternizarem do mesmo modo que imaginamos o sabor da escassa comida que arranjam, os problemas que atear uma fogueira pode trazer e tudo o mais que estas personagem vivem.
Tracey Garvin Graves é uma autora a seguir pois a sua narrativa consegue-nos prender e apaixonar arrebatadoramente.

Ossos de Stephen Booth, [Opinião]

Sem comentários:

Para mais informações deste livro clique aqui


Sinopse:

O cenário sombrio e nubloso da Cornualha serve de palco a esta trama onde estranhos crimes deixam apenas um rasto de ossos…No interior do Dark Peak, esconde-se a pequena aldeia de Withens, onde a tranquilidade é apenas aparente.

Aos poucos, aquele lugar será perturbado por roubos, vandalismo e estranhos desaparecimentos, onde o crime é apenas a face visível de segredos bem escondidos.

Um jovem é espancado até à morte, abandonado no alto das charnecas à mercê dos corvos. Será a primeira vítima…

É então que chegam à aldeia os detectives Ben Cooper e Diane Fry a quem cabe descobrir a semente do mal. Inicia-se, assim, a caça ao homem.

Mas, Withens, encerra muitos mistérios e mais violência se adivinha, à medida que o seu passado estende uma sombra negra sobre o presente…


Opinião Claudia Lé:

Iniciei este livro com grandes expetativas, tinha lido as sinopses dos vários livros editados em Portugal e, apesar de não ter ficado muito satisfeita por não estar a seguir a leitura pela ordem original, acreditei que facilmente me iria adaptar aos dois protagonistas do presente livro. No entanto isso não aconteceu, Ben Cooper e Diane Fry têm um passado já longo, diversos segredos que são comentados no livro mas que para quem inicia a sua leitura pelo 4º livro, acaba sempre por escapar algo. A trama é intensa e o desenrolar lento, apreciaria alguns momentos de maior atividade e não tanto de fúria/violência contida. A própria escrita do autor é a meu ver, excessivamente descritiva faltando-lhe mais diálogos de forma a passar uma imagem de maior ação no decorrer da leitura do livro.

Aponto este livro mais para o Thriller do que propriamente para o Policial. As personagens estão muitíssimo bem caraterizadas mas se fizesse corresponder uma cor ao livro seria cinzento. É tudo muito contido, muito ameno, muito deixado no ar não nos deixando a roer as unhas ou a acordar ao meio da noite com vontade de saber como a ação se desenrola. Acredito sinceramente que a leitura pela ordem original seria benéfica, no entanto para o meu gosto pessoal, apreciaria um pouco mais de atividade de forma a compensar as 504 páginas.

O final não foi surpreendente, no entanto existiu pelo menos um acontecimento no livro que me deixou completamente surpreendida e que de certeza absoluta deixariam ainda mais surpreendidos que tivesse lido os livros anteriores, uma vez que envolve diretamente uma das personagens principais terminando o livro em suspense relativamente a este acontecimento.

Aconselho aos amantes de Thrillers que não suspirem de forma tão macabra, por mais cenas coloridas cheias de sangue e violência.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Novidade Porto Editora - O Império das Asas

Sem comentários:
 
O império das asas de Claire Corbett
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 512
Editor: Porto Editora
 
Em O Império das Asas só os ricos podem voar
Romance de estreia de Claire Corbett passa-se num futuro próximo dividido entre voadores e não-voadores 
 
Claire Corbett estreia-se na ficção com O Império das Asas, um livro que nos faz viajar para um futuro próximo, onde a tecnologia está tão avançada que os humanos podem voar – mas só os que conseguirem pagar essa transformação. O Império das Asas, que a Porto Editora publica a 5 de julho, é um romance original sobre sacrifícios, traições e amor, onde se levantam questões sobre a sociedade atual e as suas disparidades, e sobre como podemos traçar o caminho a seguir no que diz respeito à evolução do ser humano.

No centro da história está uma rapariga que, vivendo na terra, ambiciona voar e conhecer o céu e a vida nas nuvens. As descrições desse mundo são das facetas mais originais do livro de estreia de Claire Corbett, que simultaneamente engloba fantasia, thriller e romance.

SINOPSE
Voar deixou de ser um sonho impossível, mas apenas os ricos e poderosos podem pagar a cirurgia, medicamentos e manipulação genética para tal. Peri, uma jovem de classe baixa, está disposta a qualquer coisa para conseguir as suas asas e juntar-se à elite, mas cedo descobre que o preço do seu sonho é mais elevado do que alguma vez imaginara. Será ela capaz de abdicar de tudo o que lhe é fundamental na vida?

A AUTORA
Claire Corbett nasceu no Canadá e trabalhou em cinema. Os seus artigos e contos têm sido transmitidos na Radio National e publicados em várias revistas e jornais, nos quais se incluem Rolling Stone, Cinema Papers, Picador New Writing e Sydney Morning Herald.

O Império das Asas é o seu primeiro romance. Claire vive com o marido e os filhos nas Montanhas Azuis, na Austrália.

IMPRENSA
Um livro inebriante, que me fez sonhar com coisas nunca imaginadas. O mundo de voar é tão completo, pormenorizado e real que fiquei com a impressão de eu própria ter voado e sentido as minhas asas.
Jane Campion, realizadora do filme O Piano

Uma história inebriante.
Sunday Territorian

Um livro fascinante que nos vai lançando questões ao longo das suas páginas… e também acicatando o desejo de termos asas próprias. Impossível parar de ler.
Townsville Bulletin

Um voo de fantasia altamente estimulante.
Sunday Heral Sun

Este livro despertará nos leitores o desejo de voar. Indispensável em todos os clubes de leitura do género.
Salt

Novidades da Quinta Essência para Julho

1 comentário:
O passado segue-nos até lidarmos com ele…


Tess costumava sentir-se feliz com a sua vida: mora na idílica e costeira Avalon com o filho adolescente, Zach, e a filha nove anos, Kitty, e trabalha na loja de antiguidades local. O único arrependimento que tem é tudo ter corrido tão mal com o seu primeiro amor. Em seguida, o seu casamento chega ao fim e o tal primeiro amor regressa a Avalon…
Suki, irmã de Tess, fugiu da Irlanda anos antes para casar com o político Kyle Richardon. Quando descobre que alguém quer escrever uma biografia sobre ele há apenas um lugar para onde pode ir a fim de se assegurar de que os seus segredos permanecem escondidos.
Danae é a funcionária dos correios de Avalon e esforçou-se bastante para garantir que ninguém sabe de onde veio ou quem é… O passado só a si diz respeito, e ela gostaria de mantê-lo assim.
Em Galway, Mara exibe um sorriso falso num casamento; só quer perguntar uma coisa ao noivo: porque lhe disse ele que a amava? Precisando de deixar o passado para trás, Mara pega na sua vida e prepara-se para um novo começo.
Poderão estas quatro mulheres resolver os seus passados? Ou será que precisam de olhar para trás antes de poderem começar a viver para o futuro?

Todas as mulheres necessitam da sua hora Cathy Kelly…

«Terno, lírico, fascinante e reconfortante… genial!»
Marian Keyes

«Uma história de segundas oportunidades... cheia de segredos, tragédia, paixão e mulheres que lidam com os desafios de ser uma mulher do nosso tempo. Um livro de tirar o fôlego que é sempre realista.»
Irish Independent

«Uma das nossas autoras preferidas traz-nos de novo um empolgante e agradável livro. As vidas dos personagens cruzam-se enquanto eles
revisitam os seus passados e tentam construir um futuro melhor;
dará por si a torcer por eles a cada reviravolta!»
Women’s Day


«Uma autora capaz de nos comover e de nos fazer identificar com as suas personagens.»
Daily Mail

«A mestria de Kelly para lidar com as complexidades da vida moderna, do casamento e da família fica bem patente na forma como extrai os segredos das suas personagens.»
Choice


Cathy Kelly nasceu em Belfast e cresceu em Dublin. Iniciou a sua carreira num jornal nacional irlandês, onde foi editora de moda e de notícias, crítica cinematográfica e autora da popular coluna de conselhos «Dear Cathy». Editou o seu primeiro romance, Woman to Woman, em 1997, que se transformou de imediato num êxito de vendas e converteu Cathy Kelly numa autora reconhecida internacionalmente: os seus livros estão traduzidos em mais de quinze línguas, com milhões de exemplares vendidos em todo o mundo. Alguém como Tu, a sua primeira obra editada em Portugal, recebeu o prémio Romantic Novel of the Year, para o melhor romance do ano, em 2001.
Actualmente, Cathy Kelly vive no condado de Wicklow, na Irlanda, com o marido e os filhos gémeos.







Se soubesse que ia deixar este mundo mais cedo, faria tudo diferente?

«Anna McPartlin volta a presentear-nos com um livro extraordinário.» Cosmopolitan


Eva e Lily eram as melhores amigas desde a infância. Porém, uma discussão enorme e dezassete anos mais tarde, Eva acorda de um acidente horrível e encontra a sua velha amiga a cuidar dela.
De início, o reencontro é feito a medo, mas durante os muitos meses de Eva no hospital, as amigas enfrentam tanto as mentiras do passado como as suas falhas presentes. E cada uma vê claramente como a outra precisa de mudar a sua vida: Lily deve sair de um casamento impossível e Eva tem de enfrentar a dor que causou a outros.
A crise que reuniu Eva e Lily parece uma bênção que lhes deu uma segunda oportunidade para se apoiarem quando mais precisam de um ombro amigo. Mal sabem elas que a sua amizade está sob uma ameaça que irá mudar o futuro para sempre...

Os verdadeiros amigos conhecem-nos melhor do que nos conhecemos a nós próprios e estimam-nos mais do que imaginamos…


«Anna McPartlin irradia um humor brilhante e um otimismo assertivo... uma escritora maravilhosa.»
Sunday Independent

«Sabe transmitir de forma única a dor da perda e a saudade... mas a sua experiência em stand up comedy contagia cada página, salpicando este comovente romance de humor.»
Irish Independent

«McPartlin está ao mesmo nível de Marian Keyes e de Melissa Hill na sabedoria da escrita e na excelente construção da história.»
Chick Lit Reviews Website

«Adorei cada página... Impressionou-me de tal modo que irei lê-lo novamente.»
Irish Mail On Sunday

«Fácil de ler, divertido e emocionalmente cativante.»
The Irish Times

«Um livro fantástico e agradavelmente honesto na forma como lida com as personagens. Uma grande história e uma conclusão brilhante. Um livro que os fãs de McPartlin não poderão perder.»
www.femalefirst.co.uk


«Anna McPartlin consegue fazer-nos sentir desespero e tristeza, mas também nos faz ver a luz ao fundo do túnel. É um feito impressionante. Se ainda não leu Anna McPartlin, não sabe o que está a perder. Ela é uma das melhoras escritores da nossa praça e Ninguém me Conhece como Tu é uma das mais belas histórias de amizade.»
Chicklitreviewsandnews.com

«O afeto e o humor de Anna sobressaem enquanto ela leva o leitor numa viagem através de risos e lágrimas.»
Revista U


Anna McPartlin nasceu em Dublin, em 1972. Estarás sempre Comigo, o primeiro livro publicado pela Quinta Essência, é inspirado na própria experiência de perda da autora e na capacidade de sobrevivência necessária para superar os desgostos da vida. Em 2007, foi vencedor do prémio Revelação do Ano nos Irish Book Awards.
Anna McPartlin viveu parte da infância em Dublin, até se mudar para Kerry, na adolescência, onde foi criada pelos tios. Após concluir o ensino secundário, entrou para a faculdade onde estudou Marketing, mas manteve o seu amor pela stand-up comedy e pela escrita. Enquanto trabalhava nas artes conheceu o marido, Donal. Atualmente vivem em Dublin.

"Sopro do Mal" de Donato Carrisi - opinião

2 comentários:
Podem ver a opinião de Vasco aqui


Sinopse

ACREDITAR QUE ESTE LIVRO SE INSPIRA EM FACTOS REAIS É DIFÍCIL.
ACEITÁ-LO É IMPOSSÍVEL MAS É A PURA VERDADE.

Seis braços enterrados. Seis crianças desaparecidas. Um serial killer brilhante e monstruoso, que instiga outros a matar por si.
O criminologista Goran Gavila e a sua equipa de investigação são chamados a intervir, procurando descobrir um assassino que constantemente parece pô-los à prova.
Mila Vasquez, investigadora especializada em encontrar pessoas desaparecidas, entra em cena e junta-se à caça do homicida.
Mas cada passo que dá é, na verdade, controlado por uma mente genial e implacável. Tudo se passa como num diabólico jogo da verdade, como se o Mal trouxesse consigo uma mensagem.

Opinião de Carla

B.R.U.T.A.L, é a palavra que encontro para descrever este livro. Literalmente. Desde a história relatada, até aos factos, é simplesmente, enfim, brutal.

6 braços encontrados, mas só 5 pertencem a cadáveres. O 6º braço pertence a uma criança ainda viva. Mas para a encontrar os 5 elementos da equipa vai passar por situações que eles nem de longe poderiam prever. Tendo que lidar com os próprios "esqueletos" escondidos no armário, eles terão de ultrapassar situações que por vezes lhes vão parecer impossiveis de resolver.

Sendo Mila, o elemento convidado do grupo, não é de inicio muito bem aceite, mas o profissionalismo dela irá provar que tem todo o direito de estar ali. Consegue conquistar a amizade de todos à excepção de um elemento que desde o inicio a trata com desprezo. Só quase no fim do livro iremos saber a razão desta aversão.

Um livro que se lê de "um sopro". Um livro que lembra em muito a série "Criminal Minds", o que para quem gosta de policiais, é excelente. Fiquei fascinada, rendida e ainda a "ressacar" o fim. Adoro policiais, seja em livro, seja filme ou série. Tenho lido e visto muito, este arrebatou-me completamente. Sempre que pensava que finalmente se ia descobrir mais qualquer coisa, eis que a história sofre um volte face e nada do que fazia sentido o faz. Não é fácil acreditar que há mentes tão perversas, tão más, tão destituidas de sentimentos que só pensam em destruir, matar e espalhar horror.

Com bastantes pormenores criminologistas é um livro que recomendo, sem qualquer tipo de dúvida.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Vencedoras dos Passatempos

Sem comentários:
Venho divulgar os nomes das Vencedoras dos Passatempos que estiveram em vigor até dia 16.

Para o livro As Recordações da Editorial Presença a vencedora foi a Manuela (...) Sousa de Vila do Conde

Para o ebook Nas Trevas da Noite da Casa das Letras a vencedora foi Carina (...) Portugal Monteiro

Parabéns às duas! 
As vencedoras já foram contactadas, falta-me apenas o feedback da Carina para contactar a editora.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Sacrifício de Sangue de Kristen Painter (Opinião)

Sem comentários:

Para mais informações acerca do livro clique aqui




Sinopse:

O sangue de Chrysabelle é rico, puro e poderoso... Ela é uma comarré que ousou desafiar o destino. Chrysabelle nunca imaginou que a liberdade teria um preço tão alto. Estranhos acontecimentos afastaram-na de Malkolm, o vampiro renegado a quem prometeu ajudar a quebrar uma maldição. Mas não por muito tempo, pois a atração que os une é mais forte. Para o salvar, Chrysabelle precisa de encontrar a única pessoa que pode ter a resposta: a Aureliana. Nada parece demover a comarré, nem mesmo quando descobre que cumprir a promessa exige um sacrifício de sangue, do seu próprio sangue. A chegada do enigmático Thomas Creek a Paradise City, também ele atraído pelo poderoso e inebriante sangue da comarré, vai arrastá-la para um perturbante triângulo amoroso. Dividida entre a promessa que fez a Malkolm e que lhe pode custar a vida, e o caminho de luz que Creek lhe tem para oferecer, ela terá de escolher... Intenso e arrebatador, Sacrifício de Sangue é o segundo volume da série Casa das Comarré, de Kristen Painter, e um best-seller internacional.



Opinião de Claudia Lé:


O primeiro livro desta trilogia não me dececionou de forma nenhuma, tenho lido várias sagas de vampiros, umas mais parecidas do que outras, mas esta foi uma revelação uma vez que se afasta em larga escala das restantes. Gostei bastante do mundo criado pela autora tão diferente do habitual e de todos os seres que o povoam. Crystabelle é a heroína que se espera... bastante parecida com as histórias de encantar que lia em míuda... a eterna mulher linda, loira, de olhos azuis e pele translúcida... talvez por isso tenha adorado desde o início a personagem de... Tatiana.


Perdoem-me as defensoras de Crystabelle, não é que desgoste da personagem, no entanto tanta perfeição e pureza deixam-me com um sabor agridoce nas meninas dos olhos, já Tatiana é movida pelas emoções e instintos mais primários que faz sentido no pouco que a conhecemos. É sedenta de poder... é sim senhora, é prepotente? Sem sombra de dúvida, mas porquê? Qual o sentimento que se encontra por detrás de toda aquela revolta, aquela angústia, aquela vontade de querer mais, mais e acima de tudo e de todos? Claro está não o irei revelar nesta opinião, mas quem leu o livro bem sabe que no fundo de todo o enredo, Tatiana tem a maior razão do mundo para querer tanto... falta-lhe o único amor pelo qual nós mulheres, depois de o conhecermos, não seremos mais capazes de viver sem uma vez que permaneceremos para sempre incompletas...


À parte a minha personagem favorita, gostei do amadurecimento que a personagem de Crystabelle sofre neste livro, acabando por se tornar mais humana, influenciada pelos sentimentos que no primeiro livro tão bem conseguiu ignorar acabando, aos meus olhos, por deixar de parte aquela personagem ausente e etérea, para se tornar numa verdadeira mulher de carne e osso, envolvendo-se num triângulo amoroso que conduz a nossa imaginação para além do recomendável. Entre Malkolm e Creek pode vir o diabo e escolher pois ambos são dois pedaços de «mau caminho». O envolvimento de Crystabelle com ambos acabará por a conduzir a um conhecimento mais profundo das suas próprias emoções!


Gostei especialmente do desenvolvimento entre Doc e Fi, a coragem deste para conseguir recuperar o amor perdido embora o final do livro nos deixe em suspense o que realmente se havia passado com ambos. As personagens de Aliza e Evie foram fulcrais para o desenvolvimento da trama, embora desconfie que possivelmente, irão ter um papel bem mais ativo no próximo livro pelo qual, fico a aguardar expetante... espero sinceramente que a autora seja «meiga» com Tatiana pois sem ela, o livro não seria o mesmo!


Parabéns à Asa pela edição desta autora, não sei para quando está agendado o próximo volume, espero que seja brevemente pois é uma série que merece ser lida o mais seguida possível. Para quem ainda não leu a saga, é de nos perdermos neste mundo de Comarrés, Vampiros, Varcolais e mesmo Nothos. Seria excelente adaptar esta trilogia ao cinema pelas mãos de um realizador que se sinta à vontade neste mundo fantástico... os efeitos especiais para os Nothos deveriam ser no mínimo; ARREPIANTES!!!


Sugestão do dia [Música]

Sem comentários:
A música de hoje não foi escolhida por ter uma grande sonoridade, ou porque o cantor tem uma voz espectacular, ou porque a música é inesquecível. Escolhi-a porque trata um tema sempre pertinente na nossa sociedade: o bullying.

A maioria de vocês não deve saber quem é o Robin Stjernberg. Ele é um cantor sueco, de vinte e dois anos, que até há bem pouco tempo era obeso. Tem, por isso, apenas mais um ano que eu pelo que, embora tenhamos crescido em sociedades diferentes, pertencemos à mesma geração. E eu sei o que custa ser diferente numa escola, porque um dia também o fui e também sofri com isso. Nesta música , "Scars", o Robin demonstra exactamente esse bullying de que foi vítima por ser obeso, o que fica bem patente no videoclip com a semelhança entre o cantor e a criança que protagoniza o mesmo (reparem que até têm a orelha furada do mesmo lado). Ele fala das suas cicatrizes, sim, mas sobretudo deixa uma mensagem de força.

O impressionante nesta música é o facto de o cantor deixar a sua experiência pessoal como apoio para outras crianças que, como ele, sofreram o abuso dos seus colegas. Hoje em dia o Robin está mais magro, mas antes de isso acontecer ele já cantava e era conhecido na Suécia. No final, o seu talento foi mais importante que a sua aparência e ele foi forte o suficiente para enfrentar todo o preconceito. Sei que não é uma música que vai mudar alguma coisa, mas acho importante que se demonstre a essas vítimas de bullying que existe em cada uma delas uma luz a brilhar, uma força inerente que é perfeitamente capaz de remar contra a maré. Por isso mesmo quis partilhar esta música, porque sei que o cantor não é conhecido em Portugal e não sei quem poderá ler isto.

Para finalizar, em qualquer situação, nunca se esqueçam da mensagem principal desta música: "I'm strong!" (Eu sou forte!).


Opinião de "Confissões de uma Suspeita de Assassino" de James Patterson com Maxime Pietro

Sem comentários:

Para saber mais sobre o livro carregue aqui


Sinopse:
Malcolm e Maud Angel eram pais altamente exigentes. Quando são assassinados, a filha mais velha, de dezasseis anos, Tandy, torna-se a principal suspeita do crime. Nesse mesmo dia, ela decide descobrir quem é o verdadeiro assassino, ainda que seja ela própria ou um dos irmãos.
  Tandy é uma rapariga-prodígio, incrivelmente inteligente e com conhecimentos fora do vulgar. E agora também é herdeira de uma grande fortuna… Ela guarda muitos segredos, que regressam para a atormentar. Sente-se perdida, vítima da educação recebida dos pais. Mas não seria capaz de os matar… ou seria?
Um thriller emocionante e de leitura compulsiva, onde todos os segredos de Tandy, até os mais obscuros, são revelados. Quem sabe aquilo de que ela é, realmente, capaz?

Opinião da Helga

A familia Angel é estranha..
 O Pai, Malcolm, é um Químico muito inteligente e em conjunto com o seu irmão Peter, proprietário da Angel Pharmaceuticals. A mãe Maud é uma perita em análise de mercados financeiros tendo criado o seu próprio fundo de acções.
Os filhos Angel são  Hugo de 10 anos tem uma força excepcional e uma agilidade espantosa, Harry (Harrison) é dotado de uma sensibilidade extraordinária e com 16 anos é um pianista promissor, Tandy (Tandoori) é a irmã gémea de Harry, com o QI mais elevado da família é considerada a filha promissora, Katherine a filha falecida é a memória da beleza e por fim Mathew estrela da NFL - Liga Nacional de Futebol Americano. Todos os Angel são estranhos e todos são excepcionalmente inteligentes...

Quando Malcolm e Maud são encontrados mortos dentro do seu próprio quarto com toda a família em casa, todos os que lá estão são considerados suspeitos, inclusive Samantha, a assistente pessoal de Maud. A policia não encontra provas de que alguém tenha entrado lá em casa e suspeita dos Angels, na verdade, os próprios Angels suspeitam uns dos outros... Tandy compromete-se em descobrir quem é o assassino, seja ele quem for.

Mais uma vez James Patterson, numa escrita fluída e capítulos curtos, apresenta uma história extraordinária,  pela perspectiva de Tandy  que narra ao leitores acontecimentos, como se de uma conversa se tratasse em jeito de confissão, com alguns "flashbacks" do passado. Será possível um filho matar um pai?  

O que mais posso dizer sobre o livro? É excelente, um policial  com um pouco de ficção cientifica á mistura, diferente de tudo o que já tinha lido até à data, e até ao final a dúvida subsiste. Recomendo vivamente a sua leitura.


Helga

Jogos Perversos de Shayla Black [Opinião]

Sem comentários:
 
 
Sinopse
Ela não sabia o que queria até ao momento em que ele a fez implorar... Morgan O’Malley já assistiu a muitas coisas perversas como apresentadora de um talk-show sobre sexo. Mas nunca tinha conhecido um homem como Jack Cole, um alfa dominante impossível de resistir, e alguém que Morgan quer ter ao seu lado quando um sociopata começa a persegui-la. Embora Jack seja um guarda-costas, Morgan está longe de se sentir segura na sua presença. De modo lento e sedutor, ele começa a revelar as suas fantasias mais íntimas. E quando finalmente quebra a vontade de Morgan, ela fica chocada por descobrir o quanto está a apreciar o seu toque de mestre. Rapidamente se torna uma presa nos jogos perversos de Jack, mas mesmo sabendo que os seus motivos não são inocentes, nem ela faz ideia do que a espera… 
Opinião por Vera Carregueira:

Jogos Perversos é o primeiro livro da série Wicked Lovers de Shayla Black. Explorando a descoberta e a aceitação da sua sexualidade, Morgan é constantemente abalada nas suas convicções do que é certo ou errado. Os seus desejos e fantasias mais profundas não se enquadram no que a sociedade dita como normal por isso refreia a todo o custo a sua natureza sexual como submissa. Apesar de ter um programa televisivo sobre sexo obteve pouca satisfação nos seus 25 anos de vida, por isso quando conhece Jack um conhecido Dominador do Louisiana tenta afastar a todo o custo as promessas de prazer que ele lhe faz.
Jack é um segurança profissional que sabe o que quer, quando quer e como quer, não hesitando em exigi-lo. Por isso nos dias que passa fechado no meio de nenhures com Morgan vai-se impondo e mostrando que a conhece melhor que ela própria levando-a a revelar todos os seus desejos mais secretos e as suas fantasias mais obscuras.
A acção é surpreendentemente rápida e ao terminar o livro podemos achar que apenas alguns dias poderão ser insuficientes para os protagonistas se apaixonarem contudo não podemos esquecer que eles se encontram no meio de um pântano sem nenhuma distracção o que faz com que a interação deles tenha uma dinâmica diferente.
As cenas de sexo sucedem-se, este é provavelmente o livro mais sexual que li porém tendo em conta que se trata do auto-conhecimento da sexualidade de uma das personagens faz todo o sentido.
No entanto temos uma história de fundo bem construída, ambos têm um passado que lhes trouxe dissabores e repercussões nas suas personalidades e enquanto Morgan descobre-se a nível físico, Jack aprende a conhecer a profundidade dos seus conhecimentos.
Gostei do facto de Jack apesar de Dominador preocupar-se em primeiro com o bem-estar e prazer de Morgan, acho que temos demasiados livros no mercado em que os homens são violentos e egoístas preocupando-se com o próprio prazer e tratando a mulher como um objecto, felizmente Jack não é um idiota armado em autoritário tem na verdade o poder do seu lado e sabe usá-lo. Também o facto de ir desmontando as muralhas da jovem fazendo-a aceitar-se e compreender-se é muito importante para a acção e é mais um ponto a seu favor.
No geral e dentro dos escassos conhecimentos que tenho de BDSM julgo que o tema está bem retratado e explorado, não me parece haver qualquer abuso de força ou autoridade e mesmo quando a protagonista diz Não temos acesso aos seus pensamentos sabendo que é exactamente isso que ela quer.
Uma leitura inebriante e altamente viciante que questiona o que é normal e até onde podemos ir para explorar a nossa sexualidade. Para mim tem só um ponto negativo que é o facto de Jack e Morgan se tratarem por você até ao final, acho completamente despropositado.
Sei que devido ao facto de o tema central ser o sexo levará a algumas opiniões negativas porém não quero que os meus leitores se sintam defraudados com a minha opinião, sim eu gostei, achei o tema excelentemente retratado mas não é para as mentes mais contidas.
Deixo por fim um apelo às editoras: Por Favor parem de comparar todos os livros às 50 sombras de Grey irão afugentar muitos leitores com essa referência.

domingo, 23 de junho de 2013

Segredos para um final feliz de Lucy Dillon [Opinião]

1 comentário:
Segredos Para Um Final Feliz



Sinopse:
Quando Michelle convida Anna para gerir e fazer renascer a moribunda livraria de Longhampton, é como se um sonho se tornasse realidade: para além de conquistar, finalmente, alguns momentos de paz longe das enteadas problemáticas e do dálmata hiperativo, Anna é uma sonhadora completamente apaixonada por livros.

Serão as histórias de amor, aventuras, jardins secretos, cães perdidos, bruxas malvadas e pêssegos gigantes a trazer nova vida à negligenciada loja. Anna e os seus clientes/leitores vão deixar-se levar pela magia. E nem a melhor amiga de Anna – a organizada e empreendedora Michelle, que diz categoricamente não acreditar no amor verdadeiro nem em príncipes encantados – ficará imune ao espirito love is in the air.

Mas quando alguns segredos da infância de Michelle voltam para a atormentar e o fracasso familiar paira sobre Anna, poderá a sabedoria das histórias de encantar ajudar as duas amigas – e aqueles que elas amam – a encontrar os seus próprios finais felizes?

Opinião por Mafi:
Em 2012, estreei-me com esta autora, numa leitura bastante fluída e doce - "Corações sem dono". Passado um ano, Lucy Dillon volta apresentar uma leitura acolhedora e agradável, perfeita para ler seja durante o calor do Verão ou os dias friorentos do Inverno. 

Confesso que tinha algumas expectativas. Como gosto de livros com animais e gostei bastante do livro anterior da autora, esperava um livro dramático mas recheados dos melhores ingredientes: romance, amizade e animais. Acertei em cheio. "Segredos para um final feliz" conta-nos a história de Anna e Michelle. Melhores amigas mas bem diferentes uma da outra. Michelle gere uma loja de sucesso de decoração de interiores e durante umas boas páginas é apenas isto que sabemos sobre esta personagem. Já Anna, amante de livros, sente-se na pele de madrasta má das suas três enteadas. Sonhadora, deseja construir uma família dela e poder ler os seus livros em paz, juntamente com Pongo, o dálmata da família

Apesar das personagens e das histórias de cada uma delas, ser uma grande atração no livro, o que eu gostei realmente foi o cenário onde a acção se desenrola. Se ao início o foco era apenas a loja de Michelle, a partir do momento em que entra no espaço, a livraria da Anna, o enredo torna-se muito melhor. Porque tudo é muito melhor com livros, e um livro sobre livros é quase perfeito. Adorei todas as referências aos livros que tantos nós conhecemos, como "Mulherzinhas" ou "Os 5" de Enid Blayton, entre outros. Alguns li, devorei. Outros estão à espera de ser lidos. Adorei estes pequenos toques e tenho a certeza absoluta que todos os livros e autores mencionados são da preferencia da autora. Isso fez com que o livro reflectisse um pouco da personalidade de Dillon, algo que gosto de sentir nos livros, o cunho pessoal dos autores. 

As personagens, apesar de serem bem construídas não posso dizer que não sejam cliché. Mesmo assim, a autora soube desenvolvê-las, dando-lhes alguma profundidade, tanto a Michelle, devido ao seu passado doloroso, como a Anna, que tenta ser a mãe/amiga/mulher perfeita. Gostei das linhas do enredo e admito que ao início pensei que as três enteadas fossem meninas mimadas e desprezíveis, mas surpreendi-me como a autora apresentou-as. Já Bill, que parecia ser um homem afectuouso, irritou-me com as suas atitudes de cobarde mas no final lá se redimiu pelos seus erros.

Quanto a Rory e Owen, deram alguma ligeireza à narrativa e não podia deixar de referir a aparição de Rachel, protagonista do segundo livro. Confesso que a minha única desilusão foi os cães não terem tido um papel mais interventivo. 

Lucy Dillon derrete qualquer coração com uma história cheia de ternura e segredos para uma vida mais feliz.


sábado, 22 de junho de 2013

[Novidade] Paixão Intensa de Lisa Kleypas [Porto Editora]

Sem comentários:

Paixão Sublime de Lisa Kleypas
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 320
Editor: 5 Sentidos

Ao longo do último ano, com a publicação, pela 5 Sentidos, de Desejo Subtil e Sedução Intensa, Lisa Kleypas tornou-se uma das autoras do chamado romance sensual mais apreciadas em Portugal. Hoje, no primeiro dia de verão, é finalmente publicado o muito aguardado terceiro livro da autora: Paixão Sublime.

Desejo Subtil, Sedução Intensa e Paixão Sublime fazem parte de uma série de Lisa Kleypas intitulada À flor da pele.

Sinopse
 
A boca dela roçou a dele, sedosa, macia e quente… e ele sentiu o estonteante toque da sua língua. Acendeu-se-lhe, desde logo, a chama do desejo e deixou-se afogar num prazer imoderado, poderoso, como nunca havia sentido.

Quatro jovens damas da sociedade londrina procuram um bom partido. Chega a vez de Evangeline Jenner, a mais tímida, mas também a mais rica, logo que cobre a sua herança.
Para escapar às garras da família, Evie pede ajuda a Sebastian, Lord St. Vincent, um conhecido libertino, fazendo-lhe uma proposta irrecusável: que se case com ela, trocando riqueza por proteção.
Mas a proposta impõe uma condição: depois da noite de núpcias, os dois não voltarão a encontrar-se na intimidade, pois Evie não quer ser mais um coração partido na longa lista de conquistas de Sebastian.
A Sebastian resta esforçar-se mais para a seduzir… ou entregar finalmente o coração, em nome do verdadeiro amor.

A Autora:
Lisa Kleypas é a autora de 21 romances já publicados em 12 línguas. Licenciada em Ciências Políticas, publicou o primeiro livro com 21 anos. Os seus títulos figuram constantemente em listas de best-sellers como o NYTimes e a Publishers Weekly, tendo conquistado vários prémios RITA, o prestigiado galardão da RWA (Romance Writers of America).

Críticas de imprensa
Uma contadora de histórias francamente talentosa.
Publishers Weekly


Kleypas nunca falha. (...) Kleypas tem um especial talento para fazer os leitores rir, chorar e aplaudir, normalmente logo nas páginas de abertura.
Romantic Times

sexta-feira, 21 de junho de 2013

"Encontro na Lua", de Robin Moore - Opinião

Sem comentários:

Sinopse
A chegada do Homem à Lua, transmitida em directo pela televisão, foi provavelmente o maior feito da Humanidade de todos os tempos.
Neil Armstrong, ao ter sido o primeiro Homem a caminhar na superfície lunar, tornou-se uma referência obrigatória em todos os livros de História.
Mas será que o que a televisão transmitiu corresponde exactamente àquilo que se passou? Será que a tripulação da Apolo 11 era efectivamente a primeira a pisar o solo lunar?

Opinião do Vasco
Revolucionário. Impactante. Polémico.
Robin Moore é um autor praticamente desconhecido  em Portugal, mas que criou dezenas de ficções, geralmente envolvendo temas quentes e polémicos na sociedade norte-americana, incluindo personagens marcantes como Saddam Hussein ou Fidel Castro. O autor chegou inclusivamente a ganhar um óscar de melhor argumento adaptado no início da década de 70.
"Encontro na Lua" relata detalhadamente todo o processo que levou a que o Homem pisasse a lua pela primeira vez. Utilizando personagens e ambientes reais, Moore exibe-nos uma série de pormenores acerca dos quais nunca nos lembraríamos, incutindo uma enorme intensidade emocional em cada um dos tripulantes que viajam na nave espacial.
Além disso, a certa altura da narrativa, existe algo que nos acelera a batida cardíaca.
Trata-se de um livro que recomendo sem reservas para quem gosta de ficção científica ou, simplesmente, de uma aventura.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Olhos Brilhantes de Catherine Anderson (Opinião)

4 comentários:

Para mais informações de Olhos Brilhantes clique aqui




Sinopse:



Zeke Coulter é um solteirão convicto e não revela quaisquer intenções em casar. Até que compra o rancho vizinho ao de Natallie Petterson, uma mulher muito atraente e divorciada, mãe de duas crianças, uma família completamente doida e um ex-marido envolvido em negócios obscuros. Quando o filho pré-adolescente de Natalie vandaliza a propriedade do vizinho, e esta se vê incapaz de pagar os estragos, Zeke oferece-lhe a possibilidade de que a divida seja paga com o trabalho do rapaz no rancho. Zeke tenta incutir alguma responsabilidade no rapaz e enquanto o faz começa a dar-se conta da grande reviravolta que se está a processar na sua vida. Natalie tem uma voz maravilhosa mas não acredita no seu talento nem na possibilidade de singrar no mundo da música. Mas, depois de a ouvir, Zeke está não só determinado a provar-lhe que tem talento mas também em de-monstrar-lhe que há homens dignos de confiança. E, naturalmente acaba por a seduzir. Mas a atracção crescente entre ambos é ameaçada por algo que pode condenar a sua felicidade.


Opinião de Claudia Lé:


Sempre gostei muito dos romances de Catherine Anderson, no entanto, o último que havia lido embora não me decepcionasse, também não me deixou com aquela vontade desenfreada de adquirir o próximo livro. Desta forma, os últimos romances editados foram relegados para o meio de minha wishlist. Entretanto fui à Feira do Livro e este livro bem como Mais Perto do Céu estavam a um preço acessível se compararmos ao preço habitual destes livros e acabei por cair em tentação... e ainda bem!

Este livro li-o com a mesma intensidade do primeiro, Uma Luz na Escuridão, embora não em tempo record como o 1º (numa tarde) mas em 2 dias. A escrita é fantástica, o enredo em si é uma lufada de ar fresco que nos faz sorrir praticamente durante todo o livro. Catherine não constrói personagens totalmente perfeitas, adorei a casca de laranja de Natalie e pequenos pormenores que nós mulheres depois dos 30 e especialmente depois da gravidez, somos obrigadas a confrontar diariamente e, de forma nenhuma, nos faz menos mulheres, menos sexys do que jovens de 20 anos com tudo arrebitado e sem a dita casca de laranja!!!

Os protagonistas masculinos são uma tentação, desejáveis para qualquer mulher na casa dos 20, dos 30, dos 40 e possivelmente até aos 80... A relação entre Natalie e Zeke não começa da melhor forma, claro está, graças ao filho de Natalie - Chad, que provoca bastantes desacatos na propriedade de Zeke, mas como tudo acontece por um motivo válido, a aproximação de Zeke e Natalie acaba por nos proporcionar momentos bastante divertidos.

Aconselho a sua leitura nos dias amenos do começo de Verão (uma vez que a Primavera passou a voar talvez tenhamos mais sorte com a próxima estação do ano), numa varanda, num jardim mas se possível, ao ar livre e com um enorme sorriso nos lábios! Meninas das grandes cidades, não há desculpas, em Lisboa existem bastantes jardins e no Porto, embora não conheça, estou certa que a zona ribeirinha será um excelente local para a leitura deste romance! Depois contem onde foi...

terça-feira, 18 de junho de 2013

Predestinados de Josephine Angelini [Opinião]

1 comentário:



Sinopse:
Helena Hamilton tem dezasseis anos e passou a vida inteira a tentar esconder o facto de ser muito diferente, o que não é tarefa fácil numa ilha tão pequena e resguardada como Nantucket. E está a tornar-se ainda mais difícil. Pesadelos com a travessia desesperada de um deserto fazem com que acorde desidratada e com os lençóis estragados de sujidade e pó. Na escola, é assombrada com alucinações de três mulheres a chorarem lágrimas de sangue… e, quando se cruza pela primeira vez com Lucas Delos, não percebe que estão destinados a desempenhar os papéis principais numa tragédia que as Parcas insistem em repetir ao longo da história.
À medida que Helena vai desvendando os segredos da sua ascendência, compreende que alguns mitos são mais do que simples lendas. Mas mesmo os poderes de semideuses poderão não ser suficientes para desafiar as forças que compelem Lucas e Helena a juntar-se… e que, ao mesmo tempo, tentam separá-los. 

Opinião por Vera Carregueira:

Uma das minhas grandes paixões em História era a mitologia  (acho que já referi aqui no blog) ainda é, é um tema que realmente adoro e me fascina. Por isso sabia que tinha de ler os livros desta autora só não imaginava que me fossem prender desta maneira.
Predestinados conta a história de Helena, uma adolescente de quase 17 anos com uma beleza estonteante e uma timidez capaz de lhe causar dores atrozes. Com a chegada da família Delos à ilha onde vive a protagonista percebe que não é apenas "estranha" ou "anormal" é realmente diferente. Na verdade é uma semideusa e isto é apenas o inicio de algo grandioso. A partir daqui a vida da jovem vira-se de pernas para o ar e as descobertas sucedem-se.
O que mais gostei neste livro foram todas as reviravoltas e informações absolutamente surpreendentes que surgem nos momentos mais inesperados, as personagens estão francamente bem construídas. Gostei de ver que os humanos que rodeiam os semideuses são bastante inteligentes e psicologicamente muito fortes conseguindo lidar com os acontecimentos mais inacreditáveis e incomuns.
Claire é um pequeno furacão, amiga incondicional e de fortes convicções assim como Matt, na verdade o facto de serem puramente humanos faz com que a sua coragem seja ainda mais surpreendente. Lucas e Helena são sem dúvida o par perfeito com todas as complicações inerentes, Cassandra é quem possui, a par com Helena, o maior fardo pois os poderes de ambas mudarão o rumo da História.
Toda a família Delos está construída e cimentada em cima da mitologia grega mas Noel, a mãe humana, é claramente o pilar daquele clã.
Josephine Angelini conseguiu construir uma história de proporções épicas que nos apaixona e arrebata não deixando espaço para qualquer erro. Fiquei completamente viciada nesta obra tendo lido logo de seguida Sonhos Esquecidos, o segundo livro desta história fantástica.
Sem dúvida que aconselho este livro, tenho a certeza que os amantes de histórias de amor trágicas, heróis de coragem desmedida e vilões poderosos vão adorar.

Morte Com Vista Para o Mar, de Pedro Garcia Rosado (Opinião)

Sem comentários:

Para ler mais informações de Morte Com Vista Para o Mar, clique aqui


Sinopse:


Nas traseiras de uma moradia isolada nas Caldas da Rainha, um professor de Direito reformado aparece morto à machadada na casa onde vivia sozinho. Patrícia, inspetora-coordenadora da PJ, pede ajuda ao seu ex-marido Gabriel Ponte, antigo inspector da Polícia Judiciária, que assim regressa ao mundo da investigação criminal.

Meses antes, o professor tinha contactado Patrícia, sua antiga aluna e amante, para denunciar a existência de um esquema de corrupção e de lavagem de dinheiro em torno do projeto de um empreendimento turístico gigantesco nas falésias da costa atlântica.

As primeiras provas apontam para que este homicídio seja resultado de um affair com uma mulher casada, mas poderá o professor ter sido assassinado por saber demais?


Opinião de Claudia Lé:

Os policiais são realmente os meus livros de eleição, desde tempos idos na companhia de Robin Cook ou com a magnífica Mary Higgins Clark perdi muitas noites e, consequentemente, as primeiras aulas da faculdade de Psicologia. Ficava acordada até adormecer com a cara em cima do livro por pura exaustão. Com este livro aconteceu exatamente o mesmo, adormeci perto da 1 da manhã, faltando pouco mais de 20 páginas e simplesmente porque as pálpebras pesavam uma tonelada devido ao João Pestana e restante família andar aos saltos em cima delas. No entanto, às 5h da manhã acordei e não resisti, pé ante pé saí da cama de livro na mão, enrosquei-me no sofá da sala e li com muito vagar estas últimas páginas... se por um lado queria saber se minhas expetativas estavam certas (estavam sim senhor), por outro queria fazer durar estas últimas páginas uma vez que o próximo livro do autor sai apenas em Setembro!

ADOREI o livro, o enredo, as personagens, o fato de se passar na minha maravilhosa zona Oeste que acabou por tornar mais visível as diversas descrições dos locais onde se centravam os episódios mais sanguinolentos. Ontem mesmo passei pela Tornada, sorri ao olhar a estrada em busca de um cartaz com a indicação da casa do Zé da Lenha.

Nunca havia lido nenhum policial de autoria portuguesa, sem sombra de dúvida irá ser um autor a seguir uma vez que a sua escrita, bem como tema e personagens conseguem-nos prender de uma ponta à outra. Se neste livro consegui facilmente ser transportada para a Foz do Arelho, para Caldas da Rainha ou mesmo Tornada, pergunto a mim mesma se os restantes livros também o farão, assim sendo só tenho mesmo uma maneira de o saber e faço tenção de os ler a todos.

Um grande agradecimento ao autor pelas horas desta leitura alucinante que me proporcionou, aguardo expetante não o próximo mas sim os próximos livros, acreditando que daqui a alguns anos tenha uma estante dedicada apenas aos seus livros. A escrita em si é bastante fluída, as descrições são pormenorizadas, tal como devem ser em livros com esta temática.

Ao contrário de outros autores, em que as descrições sanguinolentas mais pormenorizadas são deixadas à imaginação do leitor, o autor não teve reservas ou pudores em descreve-las de forma a que o leitor pudesse saborear o ambiente envolvente, sentir os cheiros decorrentes da acção ou visualizar as cores retratadas no livro. Com isto não quero transmitir que o livro se dedique simplesmente à explicação macabra de pormenores mais violentos, uma vez que estes se encontram perfeitamente enquadrados na trama. Aconselho o livro a todos os «amantes do crime» convencida de que irá ser uma surpresa aos mais diversos níveis!!!

De Parabéns está também está TopSeller, pela magnífica capa bem como pela qualidade de impressão. As páginas do livro têm uma densidade acima do habitual o que torna o mesmo bastante mais atrativo e fácil de manter em bom estado. Sim os livros também se compram pelas capas ou pelo menos, serão sempre a primeira imagem a guardar em nossa mente e que possivelmente nos seduz ou, pelo contrário, condiciona a não dedicar mais do que um breve olhar.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Crónicas da Vera #7

1 comentário:

Há um velho ditado popular que diz: "Quem te manda a ti sapateiro tocar rabecão". Este dito refere-se àquelas pessoas com a mania de falarem ou fazerem coisas que estão muito além das suas competências. 


Depois do ter conhecimento de alguns casos e da leitura do excelente artigo "Tidy Friday" do blog Illusionary Pleasure, decidi também eu falar sobre este assunto mas numa visão muito mais leiga que a da nossa querida ruiva. Dizia ela:


A minha questão é mesmo essa, o que faz um autor quando assina um contrato eivado de argumentação de natureza ambígua e falaciosa? Fica com centenas de exemplares do seu livro na mão, lindos, fofos e queridos que tanto adora mas que lhe estão a dar um prejuizo enorme parados em caixotes num canto lá de casa. A editora (ou deveremos chamar-lhe de gráfica?) não faz nenhuma divulgação, não consegue colocar exemplares do livro em locais de referência deixando o frustrado autor fazer todo o trabalho de relações publicas e vendedor numa corrida desenfreada contra o tempo pois agora que o livro é novidade é que irá vender. Daqui a 2 ou 3 anos quase sem divulgação nenhuma a não ser a sua e a de amigos incansáveis que se manterão ao seu lado incondicionalmente o livro tende a ficar esquecido e o autor amargurado e arrependido.

É isto que me deixa doente, uma pessoa persegue o seu sonho para o esmagarem sem dó nem piedade

Novidades Editoral Planeta para Junho

Sem comentários:

Título: As Cinquenta Baboseiras de Toni
Autor: Roseella Calabró
N.º de Páginas: 136
PVP: 12,20€
A partir de 13 de Junho

O lado B da trilogia mais quente do ano que já é best-seller em Itália e Espanha.
Uma paródia ao garboso senhor Grey, que não passa de ficção quando comparado aos Tonis da nossa terra, esses sim, homens reais.

Se depois de ler a trilogia de As Cinquenta Sombras de Grey, se interrogou sobre quem é o homem que ressona a seu lado, então, este é o livro perfeito para si. O senhor Grey é lindo, rico, sensível, misterioso e sexy. E é o protagonista do fenómeno literário do ano: a trilogia As Cinquenta Sombras de Grey.
Há só um pequenino problema: este senhor Grey não existe. E o Toni? O Toni claro que existe.
Onde o Grey conversa garbosamente com a amada, o Toni recita o alfabeto inteiro arrotando. Se o senhor Grey toca de forma magistral piano, o Toni fica escarrapachado no sofá. O Toni, em suma, é o nosso companheiro-marido-amante, com quem nos encontramos à frente no exacto momento em que paramos de sonhar acordadas com o fatal Grey literário. Menos fascinante, mas muito mais divertido e com pelo menos cinquenta razões narradas neste livro hilariante.

O Toni esconde-se dentro de T-shirts decoradas a gordura, e em vez da leitura refinada prefere o último número do jornal A Bola. Bem, há qualquer coisa que falta ao senhor Grey: ser amado por provocar um sorriso. Se depois de ler de um só fôlego a trilogia de E. L. James se perguntar quem é o exemplar de homem que ressona alto ao seu lado, então, este é o livro certo para descobrir. E o mais importante, para rir. Porque, afinal, o riso é a coisa mais erótica que existe.
O senhor Grey é lindíssimo.
Olhos: cinzentos como o céu antes de uma tempestade hormonal. Mãos: grandes como o amigo solitário que se situa abaixo da cintura. Cabelos: que dão para fazer um ninho.
E o Toni?
Olhos: dois. Mãos: também. Cabelos: heróicos. Podem ser admirados perto do monumento aos Caídos erigido em sua homenagem.

Sobre a autora:
Rossella Calabró, milanesa, é escritora, copywritter e bloguer. Tem uma insana paixão por gatos e pelo pandoro (que utiliza de diversos modos). Escreve desde os cinco anos. Publicou quatro livros, incluindo Di matrigna ce n’è una sola na Sonzogno e o e-book Perché le donne sposano gli opossum?, na Emma Books. Quando leu As Cinquenta Sombras de Grey, não resistiu e escreveu este livro.
 



 


 

 
Título: A Rapariga dos Seus Sonhos
Autor: Donna Leon
N.º de Páginas: 360
PVP: 17,76€
Disponível a 13 de Junho

Uma história de mistério e intriga emocionante, que começa e acaba com um funeral, protagonizada pelo Comissário Guido Brunetti, com a assinatura da grande dama do crime, Donna Leon.

PARA QUEM NÃO PERDE UM BOM MISTÉRIO POLICIAL É UM CRIME NÃO LER...

Este nono romance de Donna Leon publicado pela Planeta, no mês da sua publicação nos Estados Unidos, foi nomeado melhor livro do mês na Amazon.
Os romances desta autora acrescentam ao policial uma componente social. Neste livro, Donna Leon funde habilmente o trabalho de detective do Comissário Guido Brunetti com a perspicaz consciência das questões sociais, expondo sem pudores os conflitos raciais. E sempre com Veneza como pano de fundo.

Veneza é uma das mais visitadas cidades do mundo, célebre pelos seus canais, monumentos e beleza secular. Através das páginas de Donna Leon, é possível visitar uma Veneza que nem todos os turistas conhecem…
Pela mão do Comissario Brunetti, descobre-se a cidade dos residentes, as pequenas ruas por trás das catedrais, o interior dos edifícios que falam de História, os lugares frequentados pelos venezianos, os encantos escondidos da autêntica cidade que não está nos guias turísticos.
Nas páginas dos livros Donna Leon, a verdadeira Veneza também é personagem…

Sobre a autora:
Donna Leon nasceu a 29 de Setembro de 1942, em Nova Jérsia, mas viveu em Veneza durante vinte anos.Exerceu a actividade de Leitora de Literatura Inglesa na Universidade de Maryland. Há alguns anos a autora decidiu deixar o ensino para se dedicar à escrita e à música barroca. Apesar de ter chegado à escrita por acaso, atingiu rapidamente o êxito com a série policial protagonizada pelo Commissário Brunetti, consagrando-se como A Grande Senhora do Crime. Os seus livros estão traduzidos em mais de 23 línguas e são um êxito de vendas e da crítica. A escritora venceu o Crime Writters Association Silver Dagger em 2000 na Europa e nos Estados Unidos.
Título: Indiscrição
Autor: Charles Dubow
N.º de Páginas: 280
PVP: 17,76 €
Nas livrarias desde 13 de Junho

O que acontece quando se tem tudo e se quer mais?
Um romance intimista e inebriante sobre a infidelidade. Uma história de amor, luxúria, engano e traição. Sexy. Urbano. Sofisticado. Indiscreto Indiscrição é um romance pensado, cheio de fascinantes factos da vida, um irresistível e sensual page-turner, que explora o desejo de ter tudo, e as consequências de querer mais, com um equilíbrio subtil de sexo e muito intimista.
Tendo como pano de pano cenários idílicos como Paris, Roma, Nova Iorque e um dos locais mais frequentados pela classe alta nova-iorquina: Hamptons, o autor, Charles Dubow conta a história através da perspectiva de um narrador Walter, amigo íntimo dos protagonistas.
Um narrador que a crítica norte-americana compara com Nick Carraway, o narrador do livro O Grande Gastby.

Harry e Madeleine Winslow foram abençoados na vida: têm talento, charme e dinheiro. Harry é um autor premiado e com uma carreira promissora. Madeleine é uma mulher de beleza sublime e graça, cuja bondade e serenidade desmentem a educação privilegiada e vivência no luxo. Ligados por profunda devoção, partilham um amor que provoca inveja.
Num fim-de-semana, no princípio de Verão passado na praia, Harry e Maddy, que estão na casa dos quarenta, conhecem Claire, uma jovem aparentemente inocente e inteligente, que desperta com sua a juventude e ingenuidade desarmante uma admiração no casal.
Atraída pelo inegável magnetismo dos Winslow, Claire entra na vida no casal. Mas, ao longo do Verão, a amizade e reverência transformam-se em desejo perigoso. O que irá abalar e poderá destruir o mundo dos Winslow. Uma história de amor, luxúria, engano e traição contada através da perspectiva de Walter, amigo de infância e apaixonado em segredo por Maddy.

Sobre o autor:
Charles Dubow nasceu em Nova Iorque e passou os verões na casa de família em East Hampton. Frequentou a Westeyan University e a New York University. Trabalhou como empregado de balcão, lenhador e, pastor na Nova Zelândia.
Foi também assessor do Congresso, e editor fundador do Forber.com e mais tarde editor do Businessweek.com. Vive em Nova Iorque com a mulher Melinda, os filhos William e Lally e o labrador retriver, Luke. Indiscrição é o seu primeiro romance.

Título: A Estranha Máquina dos Livros
Autor: Geronimo Stilton
N.º de Páginas: 48
PVP: 12,90€
Disponível nas livrarias a partir de 13 de Junho

Mais uma fantástica aventura do rato mais famoso do mundo, que vai permitir aos mais novos perceber os diferentes momentos da História, sempre de uma forma divertida. Quem teria conhecimento dos livros de Geronimo Stilton e do seu jornal se ninguém inventasse a imprensa tipográfica?
Seria um sarilho de dar água pelos bigodes!!!
Para evitar tal catástrofe, Geronimo, com Benjamim, Esparrela, Patty e Pandora, volta atrás no tempo, viajando até à Alemanha do século XV, para impedir os Gatos Piratas de sabotarem o trabalho de Gutenberg, o inventor da imprensa!
Para crianças a partir dos 7 anos.
Mais de 15 000 exemplares vendidos desta colecção.