Crónicas de uma Leitora: "O Pintor de Sombras" de Esteban Martin - Opinião

terça-feira, 25 de setembro de 2012

"O Pintor de Sombras" de Esteban Martin - Opinião



Autor: Esteban Martin
Edição/reimpressão: 2009
Páginas: 319
Editor: Saída de Emergência

Sinopse: 
Barcelona, finais do séc. XIX. Um dos maiores génios artísticos de todos os tempos é revelado ao mundo: Picasso. Desde criança que o seu talento irrequieto é avassalador. Picasso é um jovem rebelde que cedo vê os seus estudos académicos serem prejudicados pela sua irreverência. Depois de se apaixonar loucamente por uma mulher, ela abandona-o sem deixar rasto. Ela era a sua musa, a sua inspiração, a primeira mulher que amou verdadeiramente na vida. De coração partido, Picasso começa a procurar consolo na vida boémia e nos bordéis da rua Avignon. Mas tudo se complica quando alguém parece seguir os seus passos, deixando entre as prostitutas um rasto de mortes violentas que apontam Picasso como o principal suspeito. Uma por uma, as estranhas mortes vão-se tornando cada vez mais violentas e assemelham-se em tudo às que 10 anos antes assombraram as ruas de Londres.

Opinião:
Imaginem uma história em que se cruzam personagens como Pablo Picasso, Jack, o Estripador e as pessoas que, supostamente, deram origem às histórias de Sherlock Holmes. Intrigados? Pois, eu também fiquei.
Quem me conhece, sabe que tenho um certo fascínio por serial killers, mas de todos eles, Jack, o Estripador é absolutamente o meu preferido. Sim, o que ele fez foi horrível, mas a forma como escapou e gozou com as autoridades provoca-me uma enorme vontade de o “admirar”. Saber que ele seria uma das personagens deste livro foi o grande impulso para o comprar, embora considere Picasso um autêntico génio.
Na minha opinião, este livro é genial. Sem pormenores exagerados, Esteban Martin leva-nos a conhecer uma Barcelona cheia de bares, prostíbulos e vida boémia. Nela encontramos o jovem Pablo Picasso, um rapaz com aspirações a pintor, que se envolve nas mais variadas situações. Historicamente, o livro está bastante correcto, e isso despoletou-me o interesse em ler mais sobre o pintor. A referência constante ao quadro “Las Mademoiselles d’Avignon” intrigou-me, e quando vi o quadro (admito que não tinha perfeita noção de como ele era) compreendi como estava perfeita a forma como este foi inserido na trama.
O livro centra-se na busca do assassino de várias prostitutas, cujas mortes foram assinadas por Jack, o Estripador. São então exploradas teorias sobre a identidade de Jack. Teorias reais. Mais um ponto positivo no belo trabalho de investigação, já que nenhuma ponta foi deixada solta. O mais fantástico é a forma como estas duas personagens, Picasso e Jack, o Estripador, se conseguem conjugar e construir uma história com sentido.
Esteban Martin aproveitou-se de várias situações: os capítulos são pequenos, permitindo pausar a qualquer momento; as descrições são as suficientes apenas para se perceber os locais e as situações; as personagens são reais, mas envoltas em mistério; a época da história é fascinante. Criou assim, como já disse, uma história genial, que me colou do início ao fim, e me impeliu a fazer as minhas próprias investigações. Um autor a que certamente vou estar atenta no futuro. 

Sem comentários:

Enviar um comentário