Crónicas de uma Leitora: "Escravos da Paixão" de Kate Pearce - Opinião

sábado, 8 de setembro de 2012

"Escravos da Paixão" de Kate Pearce - Opinião


Autor: Kate Pearce
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 348
Editor: Quinta Essência

Sinopse:
Uma proposta ousada... Forçada a casar muito nova, Abigail Beecham está farta do seu casamento em sexo. Anseia por sucumbir aos prazeres deliciosos do puro desejo carnal sobre o qual apenas leu. Se o marido não é capaz de satisfazer as suas carências, ela está disposta a encontrar um homem que o seja... Um passado diferente... Peter Howard está habituado a pedidos sexuais fora do comum. Os seus dez anos como escravo num bordel turco tornaram-no um especialista nas delícias sensuais. Mas há pouco que realmente o excite... até conhecer Abigail. Agora vive para a provocar e atormentar até ela gritar de prazer. Talvez quando sentir finalmente aquela deliciosa sensação de felicidade por que tanto anseia...
Opinião:

Na verdade a sinopse engana pois tudo o que Abigail quer é que o marido lhe dê um filho uma vez que mais nada na sua relação funciona, a não ser uma boa amizade. James tem gostos sexuais que Abby nunca conseguiu entender e nem sequer sabe por onde começar para poder aprender a satisfazê-lo. James adora Abby que mais que sua esposa é sua amiga de muitos anos e cresceu vendo-a como a uma irmã, contudo quando ela lhe pede um filho, não sabe o que fazer pois James prefere homens. Ainda assim, tenta encontrar Peter que já conhecia pela sua fama e pede-lhe ajuda. James quer aprender a dar prazer à sua esposa, conseguir entendimento sexual e consequentemente dar-lhe um filho. Abby aceita este acordo pois nem sequer sabe como começar um relacionamento sexual, tudo o que conhece é o que fez com James que deixou ambos constrangidos. Com o marido regressado a Londres, Abigail fica sozinha em casa com Peter que com paciência vai-lhe ensinando os prazeres do sexo, mas a sua curiosidade leva-a mais longe e os três envolvem-se em várias tropelias sexuais, numa escalada entre o prazer e o conhecimento.
No meio destes acontecimentos também Peter tem conhecimento de parte do seu passado antes de ter sido raptado e levado para o bordel, fica a saber quem era a sua mãe, de onde veio e conhece o seu avô.

Kate Pearce trás-nos o segundo livro da saga Casa do Prazer e mostra-nos que a sua imaginação sexual é gigantesca, contudo tenho pena que a personagem principal seja o próprio sexo e não as personagens. Gosto de um bom romance erótico mas aqui o sexo assume um papel demasiado importante. Acho as descrições demasiado gráficas a roçar a pornografia com um enredo um pouco fraco que poderia ser mais explorado. Contudo a escrita de Kate Pearce é fácil, rápida. Tendo em conta a quantidade de sexo que o livro tem não achei a linguagem ordinária pelo contrário, tendo em conta a explosão sexual as descrições e os diálogos até são bastante contidos.

Sem comentários:

Enviar um comentário