Crónicas de uma Leitora

sábado, 25 de março de 2017

Recap w/ Spoilers | RuPaul's Drag Race Season 9 | Episódio 1 - OH MY GAGA!!

Sem comentários:
Sabem que dia é hoje, sabem que dia é hoje? É dia de RuPaul’s drag race! AHHHHHHHH!!!
Estreou a nova season (9º) ontem e já vi o episódio, o Untuck E o recap com a Alaska e Raja. I am ready, my body is ready, os meus ovários estão prontos! Tudo em mim está pronto para esta nova season.

ALERTA: Spoilers ahead, se não viram o episódio virem costas!



As entradas!


See this, there was none of that!

Foram TÃO MÁS! Oh God! The unexcitement was real! Props to you Sasha Velour, que foi a única criatura que conseguiu fazer uma entrance memorável e digna de RuPaul’s Drag Race. Não sabia se havia de rir ou de ficar assustada, mas fiquei ambos o que diz muito sobre o estilo drag dela. Gosto! Ao contrário da Acid Betty e da Thorgy que eram as queens mais “artísticas” parece-me que a Sasha consegue fazer glamour e weird ao mesmo tempo!

Yes, bitch, eat your heart out momma!!


A Peppermint parece-me bastante doce, achei-a super fofa; a Valentina vou esperar para ver, parece-me out of drag alguém que tem um sentido de moda extremamente agradável e bonito, mas não sei se vai passar disso; a Eureka parece-me saber o que fazer com o corpo dela e não me parece que vai culpar o facto de ser gorda pelos seus falhanços, tem um sentido de humor a-do-rável e muito shady que é isso que se quer para as audiências; Charlie Hides é a minha favorita! Tem um toque de Bianca del Rio, as in vai ser uma motherly figure para muitas queens e o sentido de humor dela é hi-la-rious! 

Look at her 52 anos! How??? HOW?


Farah Moan é ... estranha, acho que vai ser daquelas que não vai ter grande personalidade e ao contrário da Aja acho que não vai crescer grande coisa... não me parece que tenha uma identidade própria; a Sasha Velour é amazing! Quero muito que ela se dê bem nesta competição e que mostre glamour e nasty ao mesmo tempo. Acho que pode mesmo vir a ser a nova Sharon Needles de drag e tantas tentaram e falharam mas acho que a Sasha possui o nível de talento para conseguir isso. 



Jaymes Mansfield.... the poor soul, vai ser a 1º ou a 2º a ir para casa. Ela é adorável e tem imenso talento a fazer as suas coisas mas... isto não é um concurso de costura. Alexis Michelle, adorável! God adoro-a, acho que ela chega até meio da season provavelmente porque ela tem imenso talento na maquilhagem e sabe o que lhe fica bem! 
Shea Coulé parece super flawless e vai longe mas não para o top 4, ao passo que a Nina Bonina Brown pode ser como a Sasha e acho que é capaz de ir bem longe e chegar aos top3 se não exagerar. E agora temos aquelas cujas entradas são super forgettable: Kimora Black (yawn)
Nah ah Kimora... nah ah!
Aja (Naomi Smalls called... she’s not happy) e Trinity Taylor... Detox also called!


 Destas três fiquei com impressão de serem super vazias (e isto é uma 1º impressão de prai 3 segundos ok? Tipo super fast and judgmental af! Eu não dava NADA pela Naomi Smalls até metade da season!) ou então que vão demorar muito tempo a ver a personalidade delas. Mas para isso eu vou precisar de ver um acting challenge, porque por norma quem é super bom em acting é quem chega à final (exceto ofc... miss Violet!) 

And then comes in ... Lady Gaga!

E os meus ovários explodiram... puff e fez-se o chocapic! Eu tinha desmaiado no chão, toda eu tinha começado a hiperventilar! Foi um momento too intense, eram 9.30 da manhã e já estava a chorar de emoção. A interação dela com a Eureka foi TÃO amorosa e bonita e é melhor que não escrever mais senão volto a chorar! *abana-se toda*

Eureka giving me Ursula realness


Category is: Oh My GAGA!

No 1º desafio ninguém vai para casa! Wait what? Basicamente ninguém vai ser eliminado neste primeiro desafio, o que eu gosto porque houve muitas queens que já foram eliminadas de forma meio rushed e 1 episódio é muito pouco tempo. E as queens têm de fazer um outfit que represente a sua cidade natal e depois o seu melhor Gaga impersonator! Woop woop!

Tenho a dizer SPOILER ALERT: no meatdress!! Booo, gente! Booo!!!!

No entanto tirando três looks: Farah Moan/ Jaymes Mansfield e Trinity Taylor todos foram lindos! O meu top 3 favoritos são:
1.Nina Bonina Brown
2.Charlie Hides
3.Sasha Velour

A Nina Bonina fez uma réplica linda:



A Charlie Hides teve uma atenção ENORME a detalhes e ao contrário dos júris eu não achei que o fato dela de Pilgrim fosse “básico” achei que como ela divide o seu tempo entre Uk e USA faria MAIS que sentido que ela escolhesse algo que desse para os dois lados e fico kinda chocada que ninguém se lembrou disso; que ela não poderia representar só um país visto que ela anda pelos dois. E nesse caso os pilgrims são essenciais porque foram os britânicos que popularam a América! So Charlie Hides fica em 2º porque aquele reveal foi um bocado trapalhão mas tirando isso achei fantástico. 

Os detalhes... os detalhes!


E Sasha Velour, com uma interpretação de NY lindíssima.



No final do episódio existe a revelação que uma queen vai voltar de uma outra season... e todos acham que será a Cynthia Lee Fontaine. Vamos descobrir no episódio da próxima semana! Woop woop!

sexta-feira, 24 de março de 2017

Notícia | Nuno Costa Santos no Festival du Premier Roman | Quetzal

Sem comentários:
A mostrar frenteK_ceu_nublado.jpg
Nuno Costa Santos, autor do romance «Céu Nublado com Boas Abertas», é o único escritor português convidado a participar no Festival du Premier Roman (em português, Festival do Primeiro Romance), que terá lugar de 18 a 21 de maio, em Chambery (França).

Este festival literário francês utiliza as leituras como meio para descobrir e promover os primeiros romances francófonos e europeus. São 3000 leitores que escolhem - após um ano de leituras e debates - os autores que lhes causaram a melhor impressão e que, por isso, serão convidados para o festival.
Assim, todos os anos participam no festival escritores francófonos e autores de romances de estreia italianos, espanhóis, alemães, romenos, ingleses e portugueses. Esta abordagem original torna o Festival du Premier Roman um evento único e multifacetado, promovendo a criação da literatura contemporânea.
«Céu Nublado com Boas Abertas» foi publicado pela Quetzal, em 2016. Tendo como pano de fundo os Açores e o Caramulo, representa a busca de uma identidade pessoal num dos territórios mais perigosos e livres, onde não existe distinção entre realidade e ficção.

Novidades da semana de 27 de Março a 2 de Abril

Sem comentários:

Nas livrarias a 28 de Março
    
 

  

Nas livrarias a 30 de Março

Nas livrarias a 1 de Abril
    

quinta-feira, 23 de março de 2017

Notícia | Poesia Livre | Homenagem a Manuel Alegre

Sem comentários:
A mostrar Cartaz Poesia Livre.jpg
O poeta Manuel Alegre é o grande homenageado da 14.ª Edição de Poesia Livre, iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santo Tirso, que teve início no passado dia 11 e se prolonga até ao próximo domingo. Ao longo destes dias, subordinadas ao tema “E o Grito se fez Verbo”, foram e serão desenvolvidas cerca de cinco dezenas de actividades, nas quais se envolveram as Escolas, as Associações Culturais e a comunidade em geral, que foram desafiadas pela autarquia local a ler e a falar da Poesia de o autor de O Canto e as Armas, cuja edição definitiva, que assina os 50 anos da primeira edição, com prefácio de Mário Cláudio, acaba de ser publicada pela Dom Quixote.

No passado dia 21Dia Mundial da Poesia, nos transportes públicos da zona norte, os passageiros foram surpreendidos, durante a viagem, com a leitura de vários poemas de Manuel Alegre, que estará presente, sexta-feira e sábado, emSanto Tirso. Já na sexta-feira, dia 24, a partir das 17h00, o Poeta visita a Escola Básica da Ponte, onde se realizará um debate com os alunos em que se irá discutir a forma como a Poesia da voz à cidadania. Nesse mesmo dia, às 21h00,Manuel Alegre participa numa noite de Poesia e Música, na Escola Secundária Tomaz Pelayo, para onde estão projectadas declamações de poesia pelos alunos de todos os ciclos do Agrupamento de Escolas da cidade.
A visita de Manuel Alegre a Santo Tirso termina na noite de sábado, dia 25, com uma sessão solene em sua homenagem, nos Paços do Concelho, durante a qual o Professor Doutor José Ribeiro Ferreira, Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, falará sobre a vida e obra do poeta aguedense. O evento será marcado por vários momentos musicais, apresentações teatrais e leituras de poemas, todos protagonizados pela comunidade daquele Município.
Manuel Alegre de Melo Duarte nasceu a 12 de Maio de 1936 em Águeda. Estudou em Lisboa, no Porto e na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra. Foi campeão nacional de natação e actor do Teatro Universitário de Coimbra (TEUC). Em 1961 é mobilizado para Angola. Preso pela PIDE, passa seis meses na Fortaleza de S. Paulo, em Luanda, onde escreve grande parte dos poemas do seu primeiro livro, Praça da Canção. Em Outubro de 1964 é eleito membro do comité nacional da Frente Patriótica de Libertação Nacional e passa a trabalhar em Argel, na emissora Voz da Liberdade. Regressa a Portugal após o 25 de Abril de 1974. Dirigente histórico do Partido Socialista desde 1974, foi vice-presidente da Assembleia da República, de 1995 a 2009, e membro do Conselho de Estado. A sua vasta obra literária, que inclui o romance, o conto, o ensaio, mas sobretudo a poesia, tem sido amplamente difundida e aclamada. Foram-lhe atribuídos os mais distintos prémios literários. 

Divulgação | Memórias | Raul Brandão | Quetzal

Sem comentários:
A mostrar Capa_Memorias_Raul Brandao.jpg
Memórias, da autoria de Raul Brandão, chega às livrarias nesta sexta-feira, dia 24 de março, pela Quetzal Editores –reunindo os três volumes originais num único.

As Memórias de Raul Brandão constituem um dos documentos literários mais importantes do século XX português (como um exemplo único de memorialismo) e um testemunho vivo, intenso e direto do período histórico que acompanham – de 1900 ao final da década de 20.
Seguindo acontecimentos decisivos da nossa História, como a decadência da monarquia, o regicídio, a implantação da República, os seus momentos de violência e agonia, as Memórias de Raul Brandão são um vasto manancial de informação vivida e recolhida pelo Autor.
Simultaneamente, podem ser lidas como um poderoso, deslumbrante e melancólico testamento literário, político e biográfico de um dos autores que atravessou a modernidade como um talento raro, um génio português ferido e abandonado pelo seu tempo, um exemplo de raríssima humanidade e sensibilidade.
«Rodeia-nos o silêncio vivo, alma do mundo, o silêncio que é talvez o que eu mais amo na aldeia, este silêncio perfumado que envolve a nossa casa na solidão tremenda da noite: mais perto de mim arfa alguma coisa de religioso e profundo: sinto a Vida e a Morte. Sinto-as enquanto a última brasa se apaga e as tuas mãos se agarram às minhas mãos de velho.»